Linfoma não-Hodgkin - REDE MATER DEI DE SAÚDE

Linfoma não-Hodgkin

Frequentemente, ouvimos falar de Linfoma não-Hodgkin, doença que já atingiu personalidades como a presidente afastada Dilma Rousseff, o ator Reynaldo Gianecchini, o governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão e, recentemente, o ator Edson Celulari.
 
O linfoma é câncer originário dos gânglios ou linfonodos, sistema de defesa do organismo que combate infecções. É dividido em dois grandes subtipos: os Linfomas Hodgkin e os Linfomas não-Hodgkin. Os Linfomas não-Hodgkin são mais comuns, acometendo cerca de 80% dos pacientes com linfoma, e pode ocorrer em qualquer idade, com incidência maior em crianças e pessoas com mais de 60 anos.
 
De acordo com o Instituto Nacional de Câncer – Inca, o Brasil deve registrar cerca de 10.240 casos de Linfomas não-Hodgkin em 2016, com incidência maior em homens do que em mulheres. Por razões ainda desconhecidas, o número de casos duplicou nos últimos 25 anos, principalmente, entre pessoas com mais de 60 anos.
 
Os Linfomas não-Hodgkin são classificados de acordo com o tipo de célula linfoide, B ou T, e também como indolentes, aproximadamente 40%, quando o crescimento é relativamente lento ou agressivos, cerca de 60%, quando o desenvolvimento é rápido. Importante acrescentar que, os linfomas agressivos podem apresentar taxa de cura superior a 70%, se em condições adequadas de tratamento.
 
O sintoma mais comum é o aumento dos linfonodos, popularmente conhecidos como íngua, no pescoço, axilas e/ou virilha; sudorese noturna excessiva; febre; prurido e perda de peso. Pode ocorrer acometimento de outros órgãos, como estômago, intestino, pulmão, sistema nervoso, medula óssea.
 
Para o diagnóstico é necessária biópsia, que é a retirada de pequena porção de tecido acometido, em geral linfonodo, para análise em laboratório de anatomia patológica e imuno-histoquímica, pois há mais de 20 tipos diferentes de Linfomas não-Hodgkin, e esses exames permitem determinar o tipo exato.
 
Após a confirmação do diagnóstico, é realizado o estadiamento, isto é, a determinação da extensão da doença no corpo do paciente. São necessários exames de imagem (Tomografia Computadorizada, Ressonância Nuclear Magnética, PET-CT), além de biópsia e aspiração de medula óssea com estudo citogenético e punção lombar.
 
As informações dos resultados são muito importantes para a escolha do tratamento mais eficaz, com menor toxicidade. Além disso, a agilidade no diagnóstico e no estadiamento impactam em taxa de cura superior. Caso o paciente apresente aumento de linfonodo, ou seja, diagnosticado com linfoma, deve procurar tratamento especializado o mais breve possível.
 
O Hospital Integrado do Câncer Mater Dei conta com equipe de Hematologia competente e experiente, dispõe de todos os exames e tratamentos necessários, como Transplante de Medula Óssea – TMO, para adequado atendimento aos pacientes portadores de linfoma. O Mater Dei Medicina Diagnóstica oferece o suporte dos exames mais avançados para um diagnóstico preciso e rápido.


RESPONSÁVEL:
Patrícia Fischer
Hematologista e 
oordenadora do Serviço de Hematologia da Rede Mater Dei de Saúde
CRM-MG: 24672

Posts Relacionados

08 Novembro 2021

Saiba quais são os principais tipos de...

Estes também são os tipos de câncer mais comum na população masculina, que tem muitos casos agravados devido à negligência na procura por ajuda médica e tratamento precoce, além de preconceitos comuns do sexo masculino. Conheça os tipos de câncer mais...
17 Dezembro 2021

Confira como foi a 11ª edição da...

Em novembro, ocorreu a 11ª Edição da Campanha Mater Dei na Luta Contra o Câncer. Foram disponibilizadas 200 vagas gratuitas para que mulheres e homens realizassem os exames de mamografia e PSA (exame de sangue para detectar alteração na próstata) além de...
29 Outubro 2021

Médico oncologista da Rede Mater Dei...

O coordenador do serviço de Radioterapia da Rede Mater Dei de Saúde, Gabriel Gil, teve seu estudo publicado no European Journal of Medicine (EMJ), um renomado Jornal dedicado a fornecer percepções de mudanças e avanços na medicina.